As políticas de backup de dados ajudam as empresas a ficarem protegidas contra falhas e possíveis defeitos em dispositivos, além de manterem um nível de performance nas atividades.

Mas você já conhece os tipos de backup existentes? Confira nosso artigo para descobrir e fazer a escolha correta!

O que é o backup de dados?

O backup de dados garante a continuidade de serviços de TI após falhas. O processo consiste na realização de cópias das informações mais importantes em um ambiente confiável. Dessa forma, é possível recuperar registros e sistemas rapidamente após um problema.

Quais os tipos de backup existentes?

As empresas que precisam investir em uma rotina de backup devem escolher entre três tipos de implementações. Cada uma delas define a forma como os arquivos são salvos e as interações que os usuários terão com as suas informações.

Veja a seguir os tipos de backup que o seu negócio pode utilizar!

Backup completo

O backup completo é aquele em que a empresa faz uma cópia completa dos dados. A cada nova mudança (ou em um intervalo definido pelo empreendimento), todos os arquivos são copiados novamente. Mas, se de um lado essa opção fornece a segurança de todos os arquivos salvos, ela demandará mais recursos da empresa.

Backup incremental

O backup incremental realiza a cópia apenas das modificações que foram feitas após um intervalo. Esse modelo é executado após uma cópia completa de todos os arquivos, o que agiliza o processo de backup a médio e longo prazo. Contudo, há necessidade de investir mais no direcionamento de recursos para o controle de versões.

Diferencial

O backup diferencial funciona de forma semelhante ao backup incremental. Nesse caso, de todas as modificações feitas é mantida apenas a última. Assim, para restaurar informações, basta copiar a última cópia completa seguida do último backup diferencial. Consequentemente, há menos tráfego de dados e agilidade das rotinas.

Quais as diferentes formas de armazenamento de backup?

Atualmente, uma empresa pode armazenar backups em dois ambientes: local ou nuvem. Cada um tem características que impactam na segurança do usuário, na sua capacidade de recuperar arquivos em momentos críticos e nos custos.

Os backups locais podem utilizar mídias de armazenamento como servidores ou HDs conectados à rede. Eles dão ao negócio a habilidade de recuperar arquivos mesmo quando a internet não está presente. Entretanto, os riscos de segurança e a possibilidade de as informações não ficarem acessíveis em momentos graves são muito maiores.

Já os backups na nuvem podem ter menos custos, mais mobilidade e a possibilidade de gerenciar todos os recursos de forma unificada. A companhia terá uma infraestrutura mais escalável para salvar os seus dados. Porém, se não houver conexão de internet disponível após uma falha, o backup ficará inacessível.

Qual tipo de backup é o mais correto para a sua empresa?

A escolha entre o tipo de backup adequado às demandas da empresa precisa considerar alguns fatores. Sabendo avaliar quais opções são as mais corretas conforme o perfil da companhia, o setor de TI terá mais capacidade de garantir que a política de backup tenha alto nível de confiabilidade.

Empresas de pequeno porte, por exemplo, costumam optar pelo backup completo. Ele tende a ser mais simples e exigir menos recursos para ser administrado.

Já companhias com uma infraestrutura em expansão constante podem optar pelos backups incrementais ou diferenciais. Esses tipos de backup fornecem um custo mais preciso e capaz de atender às demandas da empresa a médio e longo prazo. Além disso, os gastos são mais controlados, evitando prejuízos.

Leia outro artigo nosso para saber mais sobre a importância do backup para a sua empresa.